LINFOMA

Linfoma é o termo utilizado para designar um grupo heterogênio de neoplasias que tem em comum a sua origem no sistema hemolinfático. Surgem geralmente em tecidos linfóides , como linfonodos, baço e medula óssea , mas podem surgir em qualquer tecido do corpo , devido á migração dos linfócitos pelos diferentes tecidos do organismo .

O linfoma é uma das neoplasias mais comuns em cães e sua incidência é descrita como 13 a 24 casos / 100.000 cães / ano. Ocorre mais frequentemente em animais de meia idade, mas há relatos em cães com menos de um ano a cima de 12 anos. Foi descrito ainda a diminuição do risco, em fêmeas intactas, mas a maioria dos relatos mostra que o sexo não é um fator de risco importante. A predisposição para o aparecimento do linfoma aumenta nas seguintes raças: Scottish Terrier , Basser Hound , Airedade Terrier , Bulldog Boxer . As raças Bull Mastiff e Golden Retriever podem apresentar alterações genéticas, resultando em predisposição familiar. A etiologia do linfoma canino é desconhecida. Em outras espécies animais como felinos, bovinos, roedores e aves , assim como em alguns primatas, a etiologia viral já foi identificada . A hipótese de que um retrovírus possa estar envolvido na patogênese do linfoma canino não foi confirmada, embora partículas com propriedades semelhantes ao retrovírus tenham sido identificadas em culturas de tecidos de cães com linfoma. Alguns estudos mostram a relação entre linfoma e a exposição a alguns produtos químicos, principalmente o ácido 2,4 diclorofenoxiacético ou a campos eletromagnéticos, bem como a aberracético ou a campos eletromagnéticos , bem como a aberrações cromossômicas e á trombocitopenia imunomediada .

Anatomicamente, os tumores podem ser agrupados em: Multicêntrico (generalizado) ; Mediastinal (tímico) ; Alimentar (digestiva) ; Cutâneo : primário (originado na pele ), secundário (associado ao linfoma encontrado em outros locais do corpo ), forma epiteliotrófica ( micoses fungóides ) e forma não – epiteliotrófica (dérmica) e Extranodal : termo usado para linfomas em locais não incluídos nos outros grupos (renal , nasofaríngeo , ocular, neural) .

O diagnóstico do linfoma é baseado no exame físico e nas avaliações hemotológicas, bioquímico-séricas e exames radiológicos e ultrassonográficos, mas o diagnóstico definitivo só pode ser firmado pela avaliação citológica ou histológica do órgão afetado. Entretanto a realização de exames complementares é importante para caracterizar o estadiamento clínico, fornecendo informações sobre a extensão da doença no paciente . Dentre as principais modalidades terapêuticas no campo da oncologia, temos a ressacção cirúrgica, a radioterapia e a quimioterapia . O linfoma é a neoplasia que melhor responde á quimioterapia, proporcionando consideráveis avanços na duração e qualidades de vida do paciente, entretanto, as recidivas são frenquentes durante o período de manutenção da remissão .

Muitos protocolos têm sido desenvolvidos para o tratamento de linfoma canino, mas independente do protocolo utilizado, a maioria dos pacientes apresenta perda de remissão em cerca de 6-9 meses após inicio do tratamento .



 

Acesse também o link: www.laboratoriogenesi.com.br